Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Tocando agora: Carregando...

300bannerlateral01
No comando: Os 300 Gideões – Pr. Waldemar Doberstein

Das 20:00 as 22:00

300bannerlateral01
No comando: Os 300 Gideões

Das 20:00 as 22:00

Coruja de Sexta I
No comando: Sexta de Primeira

Das 22:00 as 00:00

58577572_2213722078719533_2788416450736422912_n
No comando: CONEXÃO VIDA

Das 17 as 21

Um amigo na madrugada
No comando: Um amigo na Madrugada

Das 00:00 as 04:00

café da manhã
No comando: Café da Manhã com Jesus

Das 06:00 as 08:00

FAMÍLIA MISSIONÁRIA
No comando: Família Missionária

Das 08:00 as 11:00

Coisa de Mulher
No comando: Coisa de Mulher

Das 11:00 as 12:00

Sem título
No comando: Clube do Louvor

Das 12:00 as 14:00

Voz Missonária II
No comando: Voz Missionária

Das 14:00 as 14:30

rÁDIO DO BEM - MUSA FM (3)
No comando: Show da 95

Das 14:00 as 17:00

MUNDOGAUCHO
No comando: Mundo Gaúcho

Das 17:00 as 19:00

Musical Evangéico
No comando: Musical Evangélico

Das 20:00 as 22:00

CIBI
No comando: CIBI – Igreja Batista Independente

Das 22:00 as 00:00

Governo Bolsonaro inclui família e elimina menções a gênero em candidatura na ONU

Compartilhe:
michelle-e-jair-bolsonaro

 

Ao se candidatar à reeleição no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, o governo brasileiro estabeleceu a exclusão da palavra gênero e a inclusão de família como uma de suas prioridades. No documento de candidatura para o triênio de 2020 a 2023, o país apresenta sua candidatura para uma das duas vagas para países sul-americanos e do Caribe.

As eleições para a vaga acontecem em outubro, durante a Assembleia Geral da ONU e o Brasil concorrerá juntamente com a Venezuela. O governo Bolsonaro demonstrou o interesse de reeleição com o objetivo de garantir o avanço da política externa do país, principalmente em relação a mudança de posições ideológicas.

Ao se candidatar à reeleição no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, o governo brasileiro estabeleceu a exclusão da palavra gênero e a inclusão de família como uma de suas prioridades. No documento de candidatura para o triênio de 2020 a 2023, o país apresenta sua candidatura para uma das duas vagas para países sul-americanos e do Caribe.

As eleições para a vaga acontecem em outubro, durante a Assembleia Geral da ONU e o Brasil concorrerá juntamente com a Venezuela. O governo Bolsonaro demonstrou o interesse de reeleição com o objetivo de garantir o avanço da política externa do país, principalmente em relação a mudança de posições ideológicas.

Em 2016, quando se candidatou para a vaga, o documento dizia que o país “persistiria em seu intransigente compromisso para a igualdade de gênero e o empoderamento feminino”, além de reconhecer avanços “na luta contra todas as formas de violência e discriminação de gênero”.

No texto de candidatura deste novo período, a promoção da família é mencionada nove vezes. “O governo defende o fortalecimento dos vínculos familiares, sob o enfoque dos direitos humanos”, diz o documento, que afirma que, para tal,são desenvolvidas “políticas públicas transversais”.

O país também se compromete a apoiar iniciativas que “contribuam para fortalecer as estruturas e relações familiares, levando em especial consideração as diferentes circunstâncias socioculturais e econômicas das famílias, sobretudo no que respeita às famílias em situação de vulnerabilidade”.

O presidente Jair Bolsonaro usou o Twitter para comentar a candidatura. “Na ONU o Governo Jair Bolsonaro apresentará suas prioridades no documento de candidatura à reeleição no Conselho de Direitos Humanos da ONU. As principais pautas estão ligadas ao fortalecimento das estruturas familiares e a exclusão das menções de gênero”, escreveu, segundo O Globo.

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Gospel Prime
Foto: Reprodução
Publicado por: Jornalista Júlio César de Lima

Deixe seu comentário:

Redes Sociais

Blog da 90