Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Tocando agora: Carregando...

Musical Evangéico
No comando: Musical Evangélico

Das as

Coisa de Mulher
No comando: Coisa de Mulher

Das as

300bannerlateral01
No comando: Os 300 Gideões – Pr. Waldemar Doberstein

Das 20:00 as 22:00

300bannerlateral01
No comando: Os 300 Gideões

Das 20:00 as 22:00

Coruja de Sexta I
No comando: Sexta de Primeira

Das 22:00 as 00:00

Um amigo na madrugada
No comando: Um amigo na Madrugada

Das 00:00 as 04:00

café da manhã
No comando: Café da Manhã com Jesus

Das 06:00 as 08:00

WhatsApp Image 2019-10-29 at 09.12.20
No comando: Júlio César Show

Das 08:00 as 12:00

WhatsApp Image 2019-10-29 at 09.24.46
No comando: Show da 95

Das 12:00 as 14:00

Voz Missonária II
No comando: Voz Missionária

Das 14:00 as 14:30

Sem título
No comando: Clube do Louvor

Das 14:00 as 15:00

WhatsApp Image 2020-01-23 at 09.23.15
No comando: TARDE MÁXIMA

Das 15:00 as 17:00

WhatsApp Image 2019-12-04 at 18.00.10
No comando: Mundo Gaúcho

Das 17:00 as 19:00

58577572_2213722078719533_2788416450736422912_n
No comando: CONEXÃO VIDA

Das 18:00 as 20:00

CIBI
No comando: CIBI – Igreja Batista Independente

Das 22:00 as 00:00

Eduardo Leite reduz ICMS da gasolina

Compartilhe:
eduardo-leite-1

 

Eduardo Leite reduz ICMS da gasolina

Alíquota passará de 30% para 25%

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, anunciou a redução do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) da gasolina de 30% para 25%. A medida irritou governadores de outros estados que o acusam de ceder à pressão do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo informação da colunista Malu Gaspar, os secretários de Fazenda de outros estados, em grupo no WhatsApp classificaram a medida como “inoportuna” na batalha de narrativas em torno da responsabilidade sobre o preço da alta dos combustíveis.

Alíquota passará de 30% para 25%

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, anunciou a redução do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) da gasolina de 30% para 25%. A medida irritou governadores de outros estados que o acusam de ceder à pressão do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo informação da colunista Malu Gaspar, os secretários de Fazenda de outros estados, em grupo no WhatsApp classificaram a medida como “inoportuna” na batalha de narrativas em torno da responsabilidade sobre o preço da alta dos combustíveis.

Com o anúncio, o ICMS do Rio Grande do Sul ficará na menor alíquota do país. Outros estados, no entanto, não podem se dar ao luxo de chegar ao patamar de 25%, como São Paulo, por exemplo. O governador paulista, João Doria, é adversário de Leite nas prévias do PSDB.

Os secretários criticaram também a postura de Leite de reduzir impostos em meio ao processo de conseguir entrar em recuperação fiscal.

Nelson Rocha, do Rio de Janeiro, que está no Regime de Recuperação Fiscal: “RJ resiste, apesar de sermos a maior alíquota, que é temporária em virtude do RRF (regime de recuperação fiscal). Mas a pressão é grande”, escreveu no WhatsApp.

Brasil Economico

Deixe seu comentário:

Redes Sociais

Blog da 90