Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Tocando agora: Carregando...

300bannerlateral01
No comando: Os 300 Gideões – Pr. Waldemar Doberstein

Das 20:00 as 22:00

300bannerlateral01
No comando: Os 300 Gideões

Das 20:00 as 22:00

Coruja de Sexta I
No comando: Sexta de Primeira

Das 22:00 as 00:00

58577572_2213722078719533_2788416450736422912_n
No comando: CONEXÃO VIDA

Das 17 as 21

Um amigo na madrugada
No comando: Um amigo na Madrugada

Das 00:00 as 04:00

café da manhã
No comando: Café da Manhã com Jesus

Das 06:00 as 08:00

FAMÍLIA MISSIONÁRIA
No comando: Família Missionária

Das 08:00 as 11:00

Coisa de Mulher
No comando: Coisa de Mulher

Das 11:00 as 12:00

Sem título
No comando: Clube do Louvor

Das 12:00 as 14:00

Voz Missonária II
No comando: Voz Missionária

Das 14:00 as 14:30

rÁDIO DO BEM - MUSA FM (3)
No comando: Show da 95

Das 14:00 as 17:00

MUNDOGAUCHO
No comando: Mundo Gaúcho

Das 17:00 as 19:00

Musical Evangéico
No comando: Musical Evangélico

Das 20:00 as 22:00

CIBI
No comando: CIBI – Igreja Batista Independente

Das 22:00 as 00:00

“Bonde de Jesus”: Traficantes se passam por evangélicos e atacam terreiros

Compartilhe:
orixas-de-terreiro-destruidos

 

Os crescentes registros de intolerância religiosa contra terreiros de umbanda e candomblé na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro, voltam a ser associados a ação de “traficantes evangélicos”.

Apesar de ser uma prática condenada por lideranças evangélicas do Rio de Janeiro, a grande mídia tem reforçado a associação de intolerância com o segmento religioso.

Recentemente, a polícia identificou o mandante do ataque contra terreiros, além de prender oito traficantes acusados de integrar o grupo, que é chamado de “Bonde de Jesus”.

Álvaro Malaquias Santa Rosa, o Peixão, do Terceiro Comando Puro (TCP), seria o mandante e criador do grupo criminoso que usa o nome de Jesus.

A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), criada em 2018, investiga a ameaça a mais de 200 terreiros.

O traficante, autointitulado pastor, se apresenta como “convertido” e distorce ensinamentos bíblicos para cometer os crimes.

“Eles distorcem a doutrina religiosa e agridem outras religiões, sobretudo as de matriz africana”, lembrou o delegado da Decradi, Gilbert Stivanello, ao UOL.

 

Fonte: Gospel Prime

 

Deixe seu comentário:

Redes Sociais

Blog da 90