Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Tocando agora: Carregando...

300bannerlateral01
No comando: Os 300 Gideões – Pr. Waldemar Doberstein

Das 20:00 as 22:00

300bannerlateral01
No comando: Os 300 Gideões

Das 20:00 as 22:00

Coruja de Sexta I
No comando: Sexta de Primeira

Das 22:00 as 00:00

58577572_2213722078719533_2788416450736422912_n
No comando: CONEXÃO VIDA

Das 17 as 21

Um amigo na madrugada
No comando: Um amigo na Madrugada

Das 00:00 as 04:00

café da manhã
No comando: Café da Manhã com Jesus

Das 06:00 as 08:00

FAMÍLIA MISSIONÁRIA
No comando: Família Missionária

Das 08:00 as 11:00

Coisa de Mulher
No comando: Coisa de Mulher

Das 11:00 as 12:00

Sem título
No comando: Clube do Louvor

Das 12:00 as 14:00

Voz Missonária II
No comando: Voz Missionária

Das 14:00 as 14:30

rÁDIO DO BEM - MUSA FM (3)
No comando: Show da 95

Das 14:00 as 17:00

MUNDOGAUCHO
No comando: Mundo Gaúcho

Das 17:00 as 19:00

Musical Evangéico
No comando: Musical Evangélico

Das 20:00 as 22:00

CIBI
No comando: CIBI – Igreja Batista Independente

Das 22:00 as 00:00

Augusto Aras se comprometeu com carta elaborada por evangélicos

Compartilhe:
o-novo-procurador-geral-da-republica-augusto-aras-foi-indicado-hoje-pelo-presidente-foto-roberto-jayme-ascom-tse

 

Indicado para assumir a Procuradoria-Geral da República, Augusto Aras foi o único dos candidatos ao cargo que se comprometeu com “valores cristãos” previstos em carta elaborada pela Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure).

No documento, de dez páginas, alguns valores cristãos são registrados, com temas como liberdade religiosa, sexualidade, aborto, gênero, conceito de família, acolhimento de refugiados, ensino confessional, repressão à corrupção e separação dos Poderes.

Aras teria se declarado conservador, segundo o Estado de São Paulo, acolhendo as diretrizes apresentadas pela carta da associação cristã, que defendia itens como a manutenção dos símbolos religiosos em repartições públicas, monumentos públicos com conotação religiosa, feriados religiosos e a menção a “Deus” na Constituição.

O documento também critica o ativismo judicial e a usurpação de competência por parte do Judiciário, apontando que o Ministério Público deve ter sua atuação limitada Às funções institucionais.

 

 

 

Fonte: Gospel Prime


Deixe seu comentário:

Redes Sociais

Blog da 90