Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Tocando agora: Carregando...

Coisa de Mulher
No comando: Coisa de Mulher

Das as

Musical Evangéico
No comando: Musical Evangélico

Das as

300bannerlateral01
No comando: Os 300 Gideões – Pr. Waldemar Doberstein

Das 20:00 as 22:00

300bannerlateral01
No comando: Os 300 Gideões

Das 20:00 as 22:00

Coruja de Sexta I
No comando: Sexta de Primeira

Das 22:00 as 00:00

Um amigo na madrugada
No comando: Um amigo na Madrugada

Das 00:00 as 04:00

café da manhã
No comando: Café da Manhã com Jesus

Das 06:00 as 08:00

WhatsApp Image 2019-10-29 at 09.12.20
No comando: Júlio César Show

Das 08:00 as 12:00

WhatsApp Image 2019-10-29 at 09.24.46
No comando: Show da 95

Das 12:00 as 14:00

Voz Missonária II
No comando: Voz Missionária

Das 14:00 as 14:30

Sem título
No comando: Clube do Louvor

Das 14:00 as 15:00

WhatsApp Image 2020-01-23 at 09.23.15
No comando: TARDE MÁXIMA

Das 15:00 as 17:00

WhatsApp Image 2019-12-04 at 18.00.10
No comando: Mundo Gaúcho

Das 17:00 as 19:00

58577572_2213722078719533_2788416450736422912_n
No comando: CONEXÃO VIDA

Das 18:00 as 20:00

CIBI
No comando: CIBI – Igreja Batista Independente

Das 22:00 as 00:00

Assessor de Bolsonaro diz que “Coringa” retrata “consequências do mundo sem Deus”

Compartilhe:
joaquin-phoenix-interpretando-coringa

 

Em cartaz nos cinemas, o filme Coringa tem levantado muitos debates por conta da abordagem violenta sobra a origem do personagem, que é um dos vilões mais conhecidos do universo da DC Comics.

Para Filipe G. Martins, assessor especial do presidente da República para assuntos internacionais, o filme demonstra o que a ideologia esquerdista é capaz de provocar em uma “mente perturbada”.

“É uma demonstração do que a anomia social e o ressentimento esquerdista podem fazer com uma mente perturbada”, comentou no Twitter.

Ele também apontou o filme como “um retrato desesperador das consequências do mundo sem Deus, sem propósito, sem transcendência e sem redenção” escreveu.

O filme dirigido por Todd Phillips explica a transformação do palhaço Arthur Fleck no vilão Coringa, apontando a sociedade como culpada, pois retrata os maus tratos sofridos por ele, antes de se voltar para o mal.

Em um discurso em um programa de TV, o personagem diz que ele se tornou alguém perturbado por se sentir como uma vítima social, semelhante ao que é reproduzido pela esquerda.

 

 

 

Fonte: Gospel Prime

Deixe seu comentário:

Redes Sociais

Blog da 90